quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

ENTÃO,COMO VOTAM OS BRASILEIROS?


ENTENDA A POLÍTICA COMO ELA É...


ENTÃO,COMO VOTAM OS BRASILEIROS?
Eleições significam mudanças.Se não estamos satisfeitos com o rumo da nação  esta é a oportunidade de mudar a rota.Levando em consideração que não somos uma nação e nem ao menos tribo,somos ,apenas,um bando de individualistas pensando nos seus próprios interesses -farinha pouca ,meu pirão primeiro -  e achando que certamente,nossos políticos que, também ,são povo fazem o mesmo,sem querer dar uma de guru ,pensei numa maneira de ,nesta eleição complicada que vem ai -se é que vem mesmo-  pudéssemos mudar um pouco nosso sistema,criar ideologias diferentes,mas,honestas e tentar pôr esta riquíssima nação no caminho do desenvolvimento.
Comecemos pelos congressistas,aqueles que fazem as leis.Antes de nos  decidirmos pelo voto  que tal procurar saber sobre a ideologia e os valores do nosso candidato.Eu sou socialista,portanto ,votarei num candidato socialista  ,aquele que pode minorar a pobreza,excluir a miséria da nossa rota e pensar no povo ,trazendo-lhe educação,saúde,segurança  e emprego.Escolas públicas eficientes,hospitais funcionando,verba especial para pesquisas científicas,oportunidade de crescimento para os mais jovens.
Você,leitor,conhece a ideologia do seu candidato?O que ele é ?Centro,direita,esquerda,banda voou,ou seja aquele que como o falecido PMDB vota sempre com o governo?
Bem,definida a ideologia vamos verificar o passado do seu eleito.Se estiver envolvido,indiciado  ou condenado por corrupção,esqueça.Corrupção é o pior tipo de roubo que existe,ele mata o futuro,mata esperanças, e,como um bando de gafanhotos destrói uma nação.
Se escolher votar em alguém assim você não é eleitor ,é cúmplice.E,não vá alegar inocência ,você sabe que sabia...Portanto não reclame dos hospitais sem gaze ou esparadrapo,da greve da polícia por falta de  pagamento de salários,das escolas sem carteiras nem merendas.Você ajudou que isso acontecesse!
O Congresso é uma máfia onde todos se preservam.Mesmo o mais honesto e cheio de boas intenções que adentra esse nefasto recinto  corre o risco de se corromper.É preciso ser muito forte para resistir,mesmo porque ninguém entra lá sem um partido,cheio de normas e de donos que se perpetuam no mando de campo.Daí,as bancadas.Temos a Bancada da Bala que defende os interesses de traficantes e fornecedores de armas;aquela mesma arma que pode matar seu filho numa esquina.Se você está lá ,acionou o gatilho.Procure saber quem são os políticos envolvidos e pule fora.Temos,também ,a Bancada dos Bancos  constituídas por aqueles que defendem os interesses dos banqueiros ,do capital internacional e dos mercados,nunca o seu.
A Bancada do Boi defende os interesses do agronegócio,destrói a agricultura familiar  e arma o braço de jagunços que matam sem piedade os que defendem a terra.Por fim,a Bancada da Bíblia,composta de evangélicos ,cujas igrejas lavam o dinheiro do crime organizado e ,servindo a Deus e a Mamnon,ao mesmo tempo,querem nos fazer voltar á Idade Média,á Inquisição e ao obscurantismo.Assediam os mais pobres e ignorantes   ,os fracos de inteligência,tornando o país num grande bando de zumbis que atrasam o progresso  em nome de crenças vazias e sem objetivo.

Se começarmos a destruir essas torpes alianças ,se eliminarmos do Congresso as raposas políticas que dominam esse país desde a malfadada república,ai ,sim,teremos dado um grande passo no caminho do Futuro.


                                             FRASE DO MÊS



PORTUGAL,ORA POIS! O NOVO LIVRO DE MIRIAM DE SALES
PEDIDOS PELO MAIL:   miriamdesales@gmail.com

                  FRETE GRÁTIS PARA TODO O BRASIL




VIAGENS,SÍTIOS, INFORMAÇÕES,FALARES, CUSTOS



                                              TEXTO PARA DEGUSTAÇÃO


As noivas de Santo Antonio
Os casamentos de Santo Antonio, realizados todo ano no dia 12 de junho, são uma iniciativa da Câmara Municipal de Lisboa, onde casais escolhidos entre aqueles de baixa renda realizam casamento civil no Salão Nobre do Paço do Concelho de Lisboa e no religioso na Catedral da Sé com direito a missa festiva e repercussão internacional por meio das TVs portuguesas, tudo às expensas do município. É um dia de sonho que mantém a tradição popular, além de ajudar as famílias mais humildes. O evento termina com um “copo d’água”, o almoço para os noivos, suas famílias e convidados onde comparece o prefeito de Lisboa. Por ser esta uma festa tipicamente alfacinha – toda sua tradição tem raízes lisboetas –, a festa chama a atenção do mundo...

Quanto preciso para viver de renda em Portugal?


Um casal aposentado, com uma criança, precisará ter um rendimento de, no mínimo, 990 euros (1,8 salário mínimo vigente no país) para obter o visto de residência. A obtenção do visto não é automática, e quanto mais recursos tiver, mais fácil será sua obtenção.





sábado, 23 de dezembro de 2017

CRÔNICA DE NATAL


PORQUE É TEMPO DE FESTA





CRÔNICA DE NATAL!

Confesso que andei meio desanimada com o Natal. Até hoje,minha casa nada tinha que lembrasse essa data,nem presépios,nem árvores montadas.Nem o Anjo tinha sido desembalado,nem flores compradas.
Lembrei-me do meu marido  dizendo:
-Vamos  até a Perini comprar a nossa ceia! Ceia  simples,de dois velhos  que deixaram as esperanças para trás, sem o bulício das crianças em casa,filhos crescidos,netos nas casas dos pais...
Um peru,farofa de  manteiga e ameixas, arroz á grega,pães natalinos e champanhe.
Cedo sentei-me no computador e emocionei-me com os votos de carinho recebidos de inúmeros amigos. Enquanto os lia,ouvi o pregão.Eram as mulheres que vendiam pitanga.Vinham de longe,acordavam cedo,apanhavam um ônibus e,a muitos quilômetros das suas casas humildes,percorriam os bairros ,apregoando pitangas e são-gonçalinhos.
-Olha  a pitanga!
-Comprem pitanga e são-gonçalinho!
Corri ao portão. Acenei para a mulher que atravessou a rua,tentando enxergar os carros que passavam ,afogada que estava pelas maçarocas de folhas de pitanga;uma floresta ambulante.
Comprei vários molhos e o cheiro do são – gonçalinho me fez chorar.É um aroma indescritível que lembra natais mais felizes quando eu ainda era criança e tinha minha mãe e recebia tantos presentes;ou,já esposa e mãe,com meus filhos pequenos,no afã de arrumar a casa,enfeitar a árvore,separar e embalar presentes,fazer o bolo e assar o peru,sob os olhos curiosos e esperançosos dos meus seis filhos.O olhar de uma criança esperando seu presente de Natal! Como esquecer!?O cheiro da pitanga e do são – gonçalinho,os cheiros do Natal,renovaram minhas energias ,devolveram-me o ânimo.A felicidade viaja através das pequenas memórias e consiste em estar bem consigo mesmo e procurar não fazer mal a ninguém.
Vivo procurando a criança que fui,que esperava o Papai Noel e pendurava sapatinhos na janelas;pois,a mulher que sou hoje estava embrionária na criança que um dia fui.
Creio que o Menino,se tivesse nascido aqui,adoraria despertar numa manjedoura  perfumada e até dispensaria o incenso a mirra e o ouro,porque o Menino é tão simples e risonho que acha beleza e harmonia nas pequenas coisas.
Porque não imitá-lo e passar um  Natal feliz cheio de simplicidade e amor,fazendo a doação das nossas alegrias e esperanças para aqueles que já desistiram da vida.
FELIZ Natal!

                                                  POEMA DE NATAL
                                             FERNANDO PESSOA

O sino da minha aldeia,
Dolente na tarde calma,
Cada tua badalada
Soa dentro de minha alma.

E é tão lento o teu soar,

Tão como triste da vida,
Que já a primeira pancada
Tem o som de repetida.

Por mais que me tanjas perto
Quando passo, sempre errante,
És para mim como um sonho.
Soas-me na alma distante.

A cada pancada tua,
Vibrante no céu aberto,
Sinto mais longe o passado,
Sinto a saudade mais perto.


ÔBA,CHEGOU O NOVO LIVRO DE MIRIAM DE SALES

TUDO O QUE VOCÊ QUER SABER SOBRE PORTUGAL E NÃO TINHA A QUEM PERGUNTAR


TRANSPORTES
 GASTRONOMIA
MORADIA
SAÚDE
ESTADIA
TRABALHO
ESTUDOS
CIDADES
FALARES PORTUGUESES
ABERTURA DE CONTAS E TRANSFERÊNCIA DE RECURSOS FINANCEIROS
HISTÓRIA DE PORTUGAL
VISITAS IMPORTANTES
SÍTIOS TURÍSTICOS

A escritora no mais antigo restaurante de Lisboa